FANDOM


Elfo.jpg

Elfo Lirionn

Os Elfos são uma das raças mais respeitadas em Kodrath, principalmente por terem trazido o Penjelasanismo e a história de Iaur. Chamam a si mesmos de Sindar (algo como "Pessoas Cinzentas"). Vivem em harmonia com a natureza, moldando-a suavemente para adequar-se à sua ideia de perfeição. Devido a sua longa expectativa de vida, parecem ostentar um paciência infinita, sendo vistos mais como sonhadores que empreendedores, pouco ambiciosos, distantes e descomprometidos. Sua devoção pela beleza muitas vezes tornam as ambições humanas vazias de sentido. Apesar disso, é comum encontrar alianças entre as duas raças, inclusive a proximidade tendo gerado os Meio-Elfos.

OrigemEditar

Assim como os Altos Elfos, os Elfos descendem dos Rümil, uma raça mítica criada por Sulam que abdicou da vida no plano material. Preservaram de seus antepassados principalmente a profunda ligação com a natureza e com o plano espiritual. Além disso, sempre se interessaram pela história do universo, tendo mantido vivo o Mito de Criação e a Explicação (o Penjelasan), que mais tarde seria levado às raças isoladas de Kodrath.

Os Elfos viviam em pequenos povoados nas florestas de Iaur. Alguns migraram para os arredores de Orne quando a cidade começou a se destacar. No entanto, o advento do Império Raksi pôs fim à paz no antigo continente, e os Elfos tiveram que organizar exércitos para combater os poderosos Raksis. Depois de assistirem à queda dos Altos Elfos e de verem os Quatro Exércitos serem massacrados na Batalha dos Monstros, o rei elfo Andlinrin rendeu-se a Keutir, o Imperador Raksi, abandonando os Anões na Batalha de Keohormartan (o que até hoje gera indignação nos anões).

Elfos RefugiadosEditar

Com o fim do Império Raksi e o início do Domínio das Escamas, os elfos passaram de servos dos Raksis para servos dos Dragões. No entanto, quando Naga, o Deus-Dragão, começou a planejar a invasão de Kodrath, três nobres elfos lideraram uma fuga de milhares do seu povo para as Ilhas Douradas, no episódio conhecido como Fuga dos Três Sindar. Daí vem a alcunha que é comumente usada para designá-los, os Elfos Refugiados (("Elf Pengungsih" no Idioma Ancestral). 

Adandwyr, o descendente da linhagem dos primeiros reis, liderava os elfos que viviam na antiga cidade de Orne; Elenren, uma poderosa maga, era responsável pelos habitantes dos bosques; e Lilieril, uma destemida guerreira, libertou os que viviam aprisionados nos clabouços de Hyxāys, antiga capital dos Draconatos que havia se tornado sede do poder dos Dragões. A fuga teria terminado em morte, não fosse o Cataclismo do Mar Revolto, que lançou o continente de Iaur no oceano e acabou com a tirania de Naga. O desastre afetou também as Ilhas Douradas, matando muitos dos elfos que lá haviam se refugiado. Pouco mais de cem anos depois, os Elfos Refugiados partiriam do pequeno arquipélago rumo ao continente de Kodrath.

CaracterísticasEditar

Os Elfos tendem a ser mais baixos e esbeltos que humanos normais. Suas feições são de um traçado muito finoe, quando falam, suas vozes adquirem tons melódicos. Apesar da aparência frágil, são rápidos e fortes. Costumam ter pele clara e não possuem barba, bigode ou pêlos no corpo. Um elfo atinge a fase adulta com cerca de 110 anos e pode viver mais de 700 anos.

A raça élfica tende a ser considerada frívola e distante, impressão que não corresponde à realidade, embora sua personalidade possa parecer insondável. Elfos passam o tempo apreciando a beleza natural das coisas, dançando, festejando e cantando, a menos que a necesidade leve-os a outro curso de ação. Não gostam de barcos ou minas, mas sentem grande prazer em cultivar  natureza e admirá-la sob céu aberto. Os elfos tendem a se mostrar altivos e arrogantes, mas respeitam seus amigos e os tratam igualmente.

Os Elfos falam o Sindarin, no entanto, os Elfos de Lilieril costumam usar entre si o Quenya, antigo idioma dos Altos Elfos.

ReligiãoEditar

Os Elfos praticam uma forma diferente do Penjelasanismo, atendo-se mais aos conceitos e princípios que às divindades. Acreditam na Trimurth, sem, no entanto, nomeá-los. Referem-se a eles apenas como Calad, Dúath e Cuia (respectivamente, “luz”, “trevas” e “vida” em Sindarin). Porém, reconhecem o poder dos Kilishis e a divindade dos Jinaigur, não sendo raro encontrar elfos que cultuam Jinaigur específicos.

LinhagensEditar

Quando os Elfos chegaram a Kodrath, estabeleceram-se na grande floresta de Uireb Taur. No entanto, disputas internas fizeram com que os três grupos originais acabassem se separando, gerando três linhagens diferentes, que se diferenciam muito mais por questões geográficas que físicas.

Filhos de AdandwyrEditar

Os Fillhos de Adanwyr (Adandionn, em Sindarin) são os descendentes do grupo que fugiu de Orne. Quando os elfos separaram-se, já sob o reinado de Aranlemyr, filho de Adanwyr III, permaneceram em Uireb Taur, nomeando suas terras de Sindar Aranarth ("Reino dos Sindar"), mais conhecido como Reino dos Elfos do Norte. Consideravam-se o verdadeiro reino dos elfos, já que seus reis pertenciam à linhagem dos antigos reis sindar.

O Reino dos Elfos do Norte caiu em consequência da Derrocada de Thonymann, quando o príncipe-herdeiro Thorestand e grande parte das forças militares pereceram na Ilha das Máscaras. Saelvaar, a capital dos Elfos do Norte, foi destruída no desastre, matando o Rei Erestand III, os nobres e generais que haviam ficado. Enfraquecidas, as demais cidades sofreram ataques de diversas criaturas, especialmente salteadores goblins, e aos poucos foram abandonadas. Hoje, o Reino do Norte resume-se a pequenos povoados espalhados por Uireb Taur. Apenas as cidades de AdurantViusran resistem, ainda que sem a glória do passado.

Filhos de LirielEditar

Os Lirionn deixaram Uireb Taur dirigindo-se ao leste. Sobreviveram à travessia das Montanhas Venenosas e chegaram à Floresta Intocada, onde ergueram uma única e maravilhosa cidade, Lilieril, a capital dos sinos. Os Lirionn tendem a ser mais humildes e agradáveis que os outros elfos, sendo muito bem recebidos por onde chegam. Apesar disso, a entrada em Lilieril é restrita, e poucos são os escolhidos que consequem ver além de suas torres.

Filhos de ElenrenEditar

Os descendentes dos bosques de Iaur, liderados pela maga Elenren, chamados de Elenrionn, deixaram Uireb Tur em direção ao sul de Kodrath, fixando-se na fria Floresta de Gelo. Lá ergueram diversas cidades, construindo o Reino dos Elfos do Sul, que rivalizava em tamanho e glória com os Elfos do Norte.

Os Elfos do Sul sempre foram os mais reservados, principalmente porque julgavam-se possuídores dos conhecimentos mais antigos dos Sindar. Com o tempo, foram cortando relações com o reinos humanos que os cercavam, e se isolaram até mesmo do Principado do Vale, a terra dos Hobbits, com quem mantinham boas relações. Esse movimento culminou, no reinado de Lorad, com a proibição da entrada de estranhos (todos aqueles que não fossem Elfos do Sul) na Floresta de Gelo e nas Ilhas Altas. Da mesm forma, não se vêem mais Elenrionn no resto de Kodrath. Os Elfos do Sul se fecharam.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória